14 de mai de 2014

A redenção de um demônio

De alguma forma sei que eles me agradecem pelo nosso encontro
Eu provoco
Eu sei que provoco

E não foram poucos que iniciaram alguma droga comigo
Ou os que não voltaram para casa no horário programado
Ou os que tiveram de faltar o trabalho matinal

Todo mundo falta
Um dia fica doente
Eu lhes disse:
Não há suposto mal.

Mas todos eles vomitaram no dia seguinte
E vê a merda
Depois me disseram que o mal-estar foi tamanho
Que sentiram-se tão mal
Que entenderam que o bom caminho era o seu antigo comum

Como os outros
Não entenderam que todo o vômito
É a maneira que o corpo reage para se perder de si:
Monótono, constrangido, moribundo.

Se no teu fim eu te chegar e perguntar assim:
Preferia vomitar teu corpo algumas vezes em busca de viver outros que pudesse ser?
Imagina em quem mais transformaria tua personalidade imutavel?
Ou preferia estar assim, agora morto de toda tua vida

Exatamente como te vi no passado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário