30 de nov de 2010

As misérias da forma

Aquele homem na igreja disse que o batismo é afirmação de deus e que bebês não podem confirmar sua fé. Disse que os bebês não escolhem a crença, posto não ter livre arbítrio; Pois só fazem os que andam em pé?

Na igreja é mesmo assim, o homem ereto é a coqueluche de deus. Como se o céu não pertencesse aos pássaros... E como se o húmus do humano não pertencesse aos vermes, as cobras, as centopéias e a toda família rastejante que insiste em nos integrar de volta ao pó errante da terra.

De onde nascemos a forma do homem não é a forma de deus e não há arbítrio que seja livre! A faculdade da vontade é a clausura do fora, este é o lugar que pertencemos.

Mas graças a deus temos os bebês; recém saídos do útero da mola, quentes daquilo que ao corpo se perde sai o bebê - e chora. Ainda sem forma e integrado ao rompimento:

Os bebês são onde nos sentimos seguros; e em perigo ao mesmo tempo.