13 de jul de 2016

O Fim.

Está me lendo agora?

É como o verme mastiga o defunto. Mastiga pois o verme não dura muito. Mastiga a pele, mastiga, mastiga, e morre. E hoje eu morro.

Finalizo este blog para quem lê e o mastiga. Bendita escrita que fez guardar um ato de minha mordida. Pois fiz este blog de uma boca maldita. De um desesperado organismo humano recebendo impulsos insanos desinteressados de uma chama de autor.

Que fracasso hoje em escrever que acabou. Ando sem tanta angústia, sem desafiar minha verdade, maduro, vermelho, sabendo que o verde (e o hippie, e o anarco, e o iluminado) representa mais minha razão do que minha vontade.

Sigo em dúvidas da verdade, tentando que aos outros, de perto, não lhes atrapalhe. Mas hoje, adulto, consciente de saber nada, não posso mais clamar a curva da época. Pois a época em mim passou.

Estou feliz? Não estou. Se estão tristes? Não me importa. Já não carrego nada.




Nenhum comentário:

Postar um comentário