26 de jan de 2014

Um livre estrago.

São 05:55 da manhã
Estou me namorando.
Não trabalho amanhã
Não preciso comer
Não preciso me cuidar
Estou me namorando
E o namoro é estrago

Mas é tão diferente quando
Respondo por mim

Este meu estrago é só meu
Nínguem interfere nele
Dizendo que eu devia estar sóbrio
Ou ter mais cuidado
Ou entrar pra ioga
São exatamente 06:00 da manhã
E meu estrago é livre

Farei agora um brinde livre
Ao meu estrago e eu
Percebo que meu corpo pede descanso
E que o sol pede passagem
E busco uma cerveja
Para celebrar
O meu livre estrago

Nínguem pode interferir
Se eu me acabo

Dentro de tantos acordos
Interesses
Contas
Sonhos que me projetam
Faltas que me fazem creer
O meu estrago amigo
É o que me deixa livre

De morrer

Nenhum comentário:

Postar um comentário